domingo, 7 de dezembro de 2008

O falso profeta (I)

Quando se fala em Arrebatamento e Grande Tribulação, a imagem de um homem vem a nossa mente: o Anticristo. Homem que vai trazer uma aparente paz mundial e que vai ser visto pelo mundo e por boa parte dos judeus como o Messias que o mundo precisava ter. Mas pouco se fala, seja por desinteresse ou por desconhecimento, do falso profeta, que coexistirá com ele e terá importância semelhante á sua. Em Apocalipse 13, João descreve como ele agirá:

E vi subir da terra outra besta, e tinha dois chifres semelhantes aos de um cordeiro; e falava como o dragão. E exerce todo o poder da primeira besta na sua presença, e faz que a terra e os que nela habitam adorem a primeira besta, cuja chaga mortal fora curada. E faz grandes sinais, de maneira que até fogo faz descer do céu à terra, à vista dos homens. E engana os que habitam na terra com sinais que lhe foi permitido que fizesse em presença da besta, dizendo aos que habitam na terra que fizessem uma imagem à besta que recebera a ferida da espada e vivia. E foi-lhe concedido que desse espírito à imagem da besta, para que também a imagem da besta falasse, e fizesse que fossem mortos todos os que não adorassem a imagem da besta.” (Apocalipse 13:11-15)

Interessante notar alguns aspectos que permitem identificar o tipo de homem que será o falso profeta. A primeira característica apresentada por João é a de que ele “terá chifres como os de cordeiro”. Como o livro de Apocalipse é repleto de símbolos, há de se entender o que simboliza esses chifres. No livro de Apocalipse, entre os símbolos citados há alguns que são explicados no livro e outros que só são entendidos se olhados, de forma comparativa, em outras passagens da Bíblia. No Velho Testamento, baseado várias passagens dão a entender que chifre representa poder (Deuteronômio 33:17, 1 Reis 22:11, Ezequiel 34:21, Daniel 7:21, Miquéias 4:13 e Zacarias 1:21). Simbologia essa que a teologia também concorda como verdadeira. Portanto, o primeiro aspecto do falso profeta é que ele terá poder de cordeiro, ou seja, poder religioso ou de autoridade religiosa, já que cordeiro na Bíblia aponta para Jesus Cristo. O detalhe é que a Bíblia diz que será semelhante, mas não será o poder de Cristo, nem dado por Ele.

A Bíblia continua, afirmando que ele falará “como o dragão”. Dragão em Apocalipse, aponta para o próprio Satanás. No Velho Testamento e no Egito Antigo, Dragão era símbolo de todo poder anticristão (Ezequiel 29:3, Isaías 27:1 e Jó 26:13). Assim, até aqui já dá para perceber que o falso profeta será uma figura contraditória: terá poder reconhecido como de uma autoridade religiosa, mas suas palavras serão contrárias ao evangelho de Jesus Cristo.

Antes de continuar, cabe aqui fazer uma analogia. Ao que tudo indica, o falso profeta representará para o Anticristo, respeitadas as devidas proporções e características, algo semelhante do que João Batista representou para Jesus Cristo. Esse último, anunciava a todo tempo que o Messias haveria de vir, até que chegou o dia em que Ele, em pessoa, se aproximou de João e por ele foi batizado, confirmando o que o profeta havia dito sobre o Messias.

Papel semelhante terá o falso profeta no governo satânico. Se João Batista foi o profeta da verdade e das palavras de arrependimento e salvação, o falso profeta será aquele que legitimará o Anticristo. Como João Batista, o falso profeta vai incitar às pessoas à seguir o Messias que ele defende. Mas a diferença é que este último não será um homem de palavras duras, como as que João Batista proferia contra os fariseus, tentando chamá-los ao arrependimento (Mateus 3:7). Além disso, ele terá meios bem mais eficazes do que os que possuía João Batista para convencer seus ouvintes.

Analisando o trecho bíblico de Apocalipse 13, acima transcrito, percebe-se que o falso profeta exercerá “todo o poder” do Anticristo e que terá o poder de convencer à população mundial para adorá-lo. Imagino aqui que esse falso profeta terá o controle, ou pelo menos significativa influência nos meios de comunicação de massa no mundo todo. Ele deverá ser uma pessoa sempre presente e bem recebido nos telejornais e nos veículos de notícias da internet. Mais do que um mero líder religioso, será também um homem que exercerá grande influência sobre aquilo que o mundo pensará a respeito de religião. Será alguém que as pessoas terão desejo de ouvir o que ele dirá a cada dia, sendo respeitado e admirado por milhões, ou talvez até bilhões de fiéis em toda a terra.

A Bíblia continua, afirmando que esse falso profeta fará com que as pessoas acreditem no Anticristo. Ao contrário do que alguns pensam, o Anticristo não se estabelecerá no governo mundial somente por seu poder de influência política. Sua legitimação no poder acontecerá após legitimação do falso profeta, que confirmará que o Anticristo foi ferido de morte (talvez por um atentado terrorista ou por algum outro fato que o leve a ser tido como morto) e que ressuscitou, sendo então o Messias que não só os judeus, mas o mundo esperava.

Mais do que isso, a Bíblia afirma que o falso profeta ainda fará com que caia fogo dos céus na frente dos homens! Não será um truque, mas cairá fogo mesmo dos céus à sua ordem! Imagine você sentado no sofá da sua casa assistindo televisão e, de repente, num pronunciamento em cadeia nacional ou mundial, esse falso profeta faça com que caia fogo dos céus e queime propriedades, florestas, ou algum outro tipo de paisagem física e isso seja confirmado pelos meios de comunicação. E isso será apenas um dos tipos de coisas sobrenaturais que ele fará. Será o engano mundial em escala jamais vista. Principalmente porque os homens em geral são como Tomé, acreditam somente naquilo que seus olhos vêem. Por isso, por não terem fé no verdadeiro Deus, e não terem o amor de Jesus Cristo em seus corações (2 Tessalonicenses 2:11), acreditarão que esse falso profeta, dado os seus poderes sobrenaturais, é genuíno, verdadeiro, e para a opinião pública as suas palavras serão presumidamente verdadeiras.

Por seus sinais “miraculosos” em toda a terra, o falso profeta cairá quase que na unanimidade da aceitação do povo. Ao ponto de que será um verdadeiro contraventor e inimigo da paz, aquele que negar que o falso profeta tem poderes divinos e que as suas palavras são verdadeiras. Após conseguir a plena aceitação pública, ele chegará ao ponto de ordenar a fabricação de uma imagem, esculpida por homens, do Anticristo. Mais do que isso, o falso profeta ainda fará com que essa imagem tenha Espírito e que fale! Isso mesmo, uma imagem que poderá falar! Não estou falando de uma grande imagem que como uma marionete reproduzirá por um gravador aquilo que o Anticristo falar. Não. Essa imagem certamente movimentará seus lábios de forma inteligível e, tendo espírito, falará normalmente como qualquer ser humano comum. Com uma diferença: essa “imagem”, fará com que sejam mortos todos aqueles que não a adorarem. Assim, os homens que até aqui não tiverem dado a devida atenção ao falso profeta, agora deverão se render ao seu poder. Poder esse, que será mortal contra todos aqueles que não adorarem o Anticristo! Com o cristianismo desacreditado na Terra nesse tempo, as pessoas então não verão à sua frente nenhuma outra opção senão a de defender a suas próprias vidas (Mateus 16:25), adorando, querendo ou não, o Anticristo, e selando sua condenação eterna! Poucos no mundo agirão assim como Sadraque, Mesaque e Abednego (Daniel 3:17), enfrentando a morte por amor a um Deus que o mundo todo teima em não acreditar. Somente aqueles que realmente tiverem em seus corações uma fé verdadeira em Jesus Cristo.

Por último, cabe ressaltar uma última característica que a Bíblia descreve sobre o falso profeta:

E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita, ou nas suas testas, Para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome. Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento, calcule o número da besta; porque é o número de um homem, e o seu número é seiscentos e sessenta e seis.” (Apocalipse 13:16-18)

Ao contrário também do que alguns pensam, fica evidente também em Apocalipse 13 que quem fará, ou promoverá a aceitação da “marca da besta” será o falso profeta, e não o Anticristo! O próprio falso profeta é quem declarará esse novo sistema econômico como legítimo e defenderá publicamente que as pessoas aceitem a marca. Por isso, não subsiste o argumento de que as pessoas aceitarão a marca da besta enganadas, não sabendo que estão ali negando a Jesus Cristo. Também o grande erro da famosa série “Deixados para Trás”, em que uma pessoa aceita a marca “obrigada” e ainda sim é salva, também não acontecerá. O falso profeta, como já dito, será um líder religioso. As pessoas não acreditarão nele como quem acredita numa autoridade política ou num economista influente, mas seguirão a ele como se segue um líder religioso, vendo nele uma divindade. Não obrigará ninguém a nada, nem a aceitar a marca, apenas vai sujeitar os que se negarem ao rigor de sua ira, numa espécie de “Santa Inquisição” aos que o negarem. Como suas palavras serão, como também já dito, de expressa orientação anticristã e negando a eficácia do evangelho de Cristo, segui-lo implicará em aceitar como verdadeiras suas palavras, negando a Jesus Cristo! Como dito também, aceitar a marca da besta será apenas uma confirmação das pessoas, de que elas estão alinhadas com o Anticristo, o qual elas já adoraram para não serem mortas.

Agora, sabendo das características do falso profeta, fica a pergunta: Quem será e de onde vai sair esse homem? Não dá para afirmar categoricamente quem será o falso profeta nem de onde ele virá. Mas há alguns estudiosos da escatologia bíblica que defendem que, pela semelhança das características, pela descrição bíblica e pelo cenário político e religioso mundial de nosso tempo, o falso profeta será um papa, líder da religião católica apostólica romana. Contudo, repito que não dá para afirmar que será ele com absoluta certeza.

No próximo artigo, vamos analisar o que dizem os estudiosos a respeito dessa possibilidade e você poderá tirar suas próprias conclusões sobre a veracidade dessas interpretações.

Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas operando grandes sinais e prodígios para enganar, se possível, os próprios eleitos.” (Mateus 24:24)

Um comentário:

Dani Rubi disse...

Olá Nilson!

Esse assunto é de arrepiar. Da maneira como as coisas estão já é complicado viver. Observo diariamente pessoas negando a Cristo com suas atitudes, mas a maneira como a Bíblia fala é algo que nos lembra os tempos do nazismo.

Estou começando a estudar um livro sobre Escatologia e estou começando a compreender melhor esse tema, mas seu blog tem me ajudado muito.

Talvez já tenha lido, mas um bom livro sobre o assunto ligado a Hitler é este: A CRUZ DE HITLER.
Leia se tiver oportunidade.
Continue escrevendo... seu blog além de interessante por nos trazer novos conhecimentos de maneira bastante objetiva, é também um alerta para todos nós.

A igreja tem que despertar para viver mais intensamente o evangelho, caso contrário será facilmente persuadida!

Abraços
A Paz do Senhor